Ide às Nações

Pregando o Evangelho do Reino às nações

Notícias da Índia - 14/09/13

  Vou relatar a seguir os momentos vividos aqui na Índia nessa minha segunda vinda:

  Cheguei à Índia na noite de domingo (08/09) em Mumbai, que é a capital financeira (a São Paulo indiana). Fui recebido por Andrew e Eliane e fiquei em seu apartamento até a manhã de sexta (13). Conheci esse casal há dois anos quando ainda se observavam e oravam um pelo outro. Ele é indiano e ela, brasileira, e se casaram em julho do ano passado.
  Ambos são da JOCUM e ministram cursos de formação cristã. De setembro a novembro, eles ministrarão curso para Resgate de Crianças sob Risco. Eles ensinam como trabalhar com as comunidades para evangelizar e salvar a vida de crianças sem perspectiva de futuro: abandonadas, vendidas à prostituição, enfermas, filhos de drogados ou prostitutas, etc.
  Nesses dias, visitamos locais que trazem muita angústia ao coração. Fomos a um lar de assistência a pessoas aleijadas, dementes ou qualquer outra forma de deficiência, que foram abandonadas pelos pais ou parentes e foram resgatadas e cuidadas por voluntários. Esse Lar é a continuação do trabalho da famosa Madre Teresa de Calcutá. Eles cuidam em torno de umas 200 pessoas, entre crianças, adolescentes, adultos e idosos; todos com algum tipo de deficiência e separam por faixa etária e/ou sexo. Foi muito bom poder demonstrar carinho por pessoas tão carentes e, constrangedor também, pela qualidade de vida que desfrutamos e não valorizamos como deveríamos.
  Também visitamos a Red Light. Esse local é a famosa área de prostituição de Mumbai, onde as prostitutas ficam muito bem vestidas nas calçadas, aguardando os clientes, que entram com elas em tendas armadas dentro das lojas daquela rua. A intenção era conhecer essa realidade e interceder por elas enquanto caminhávamos. É uma experiência chocante, principalmente quando sabemos que elas são compradas de seus pais endividados no interior do país e exploradas desde muito jovens, sem qualquer perspectiva de mudança. Continuamos a orar, calados e perplexos, após o percurso, em um restaurante próximo.
  Outro ponto a destacar em Mumbai foi o relacionamento que desenvolvi com os alunos do curso mencionado acima. Eram cinco jovens alunos, cada um de uma região diferente e se comunicam em inglês, pois falam diferentes línguas:
  Aaron (do estado de Andha Pradesh), filho de pastor e o mais preparado dos alunos indianos; muito disponível em servir e amigo.
  Alok (Orissa), jovem simples, tímido e talentoso; faz desenhos e dança e mora em um cidade próxima de Bhubaneswar, onde estou.
  Kenei (Nagaland), moça simpática e agitada; mora em um estado cuja maioria é cristã (87%).
  Rose (Manipur), moça simpática e tímida que mora em Nova Déli; em seu estado, aproximadamente um quarto é cristão. Nos 2 primeiros estados, os cristãos não passam de 2%.
  Yandira (Santa Cruz de la Sierra, Bolívia), moça com testemunho incrível, filha de médica, trabalha com a população carente desde seus 14 anos. Resgata crianças, cuida de idosos, alimenta os favelados com a equipe de sua igreja, sendo a única mulher. Veio sozinha pra Índia para ficar 3 meses. Moça sensível e disposta na Obra, muito amável e amiga. Um grande exemplo.
  Orem por esses queridos para que sejam capacitados e, voltando aos seus lares, cumpram integralmente o chamado que têm no Senhor, sendo bênção e luz para seu país.
  Em Mumbai, tivemos uma agenda bem cheia com atividades de manhã até a noite, nos deslocando durante umas 5 ou 6 horas, em táxis, trens e ônibus inacreditavelmente velhos. Agora, aqui em Orissa, terei mais tempo para comunicar-me mais vezes e em menos tempo.
  Deus abençoe a todos! Orem por nós! Saudades…

Saulinho

Notícias da Índia - 14/09/13

Vou relatar a seguir os momentos vividos aqui na Índia nessa minha segunda vinda:

Cheguei à Índia na noite de domingo (08/09) em Mumbai, que é a capital financeira (a São Paulo indiana). Fui recebido por Andrew e Eliane e fiquei em seu apartamento até a manhã de sexta (13). Conheci esse casal há dois anos quando ainda se observavam e oravam um pelo outro. Ele é indiano e ela, brasileira, e se casaram em julho do ano passado.
Ambos são da JOCUM e ministram cursos de formação cristã. De setembro a novembro, eles ministrarão curso para Resgate de Crianças sob Risco. Eles ensinam como trabalhar com as comunidades para evangelizar e salvar a vida de crianças sem perspectiva de futuro: abandonadas, vendidas à prostituição, enfermas, filhos de drogados ou prostitutas, etc.
Nesses dias, visitamos locais que trazem muita angústia ao coração. Fomos a um lar de assistência a pessoas aleijadas, dementes ou qualquer outra forma de deficiência, que foram abandonadas pelos pais ou parentes e foram resgatadas e cuidadas por voluntários. Esse Lar é a continuação do trabalho da famosa Madre Teresa de Calcutá. Eles cuidam em torno de umas 200 pessoas, entre crianças, adolescentes, adultos e idosos; todos com algum tipo de deficiência e separam por faixa etária e/ou sexo. Foi muito bom poder demonstrar carinho por pessoas tão carentes e, constrangedor também, pela qualidade de vida que desfrutamos e não valorizamos como deveríamos.
Também visitamos a Red Light. Esse local é a famosa área de prostituição de Mumbai, onde as prostitutas ficam muito bem vestidas nas calçadas, aguardando os clientes, que entram com elas em tendas armadas dentro das lojas daquela rua. A intenção era conhecer essa realidade e interceder por elas enquanto caminhávamos. É uma experiência chocante, principalmente quando sabemos que elas são compradas de seus pais endividados no interior do país e exploradas desde muito jovens, sem qualquer perspectiva de mudança. Continuamos a orar, calados e perplexos, após o percurso, em um restaurante próximo.
Outro ponto a destacar em Mumbai foi o relacionamento que desenvolvi com os alunos do curso mencionado acima. Eram cinco jovens alunos, cada um de uma região diferente e se comunicam em inglês, pois falam diferentes línguas:
Aaron (do estado de Andha Pradesh), filho de pastor e o mais preparado dos alunos indianos; muito disponível em servir e amigo.
Alok (Orissa), jovem simples, tímido e talentoso; faz desenhos e dança e mora em um cidade próxima de Bhubaneswar, onde estou.
Kenei (Nagaland), moça simpática e agitada; mora em um estado cuja maioria é cristã (87%).
Rose (Manipur), moça simpática e tímida que mora em Nova Déli; em seu estado, aproximadamente um quarto é cristão. Nos 2 primeiros estados, os cristãos não passam de 2%.
Yandira (Santa Cruz de la Sierra, Bolívia), moça com testemunho incrível, filha de médica, trabalha com a população carente desde seus 14 anos. Resgata crianças, cuida de idosos, alimenta os favelados com a equipe de sua igreja, sendo a única mulher. Veio sozinha pra Índia para ficar 3 meses. Moça sensível e disposta na Obra, muito amável e amiga. Um grande exemplo.
Orem por esses queridos para que sejam capacitados e, voltando aos seus lares, cumpram integralmente o chamado que têm no Senhor, sendo bênção e luz para seu país.
Em Mumbai, tivemos uma agenda bem cheia com atividades de manhã até a noite, nos deslocando durante umas 5 ou 6 horas, em táxis, trens e ônibus inacreditavelmente velhos. Agora, aqui em Orissa, terei mais tempo para comunicar-me mais vezes e em menos tempo.
Deus abençoe a todos! Orem por nós! Saudades…

Saulinho

  • 14 Setembro 2013
  • 3